AINDA A POESIA

 Alguns BREVES:


Na fonte divina
almejo um remanso.
             *
Na tela do Poente,
as tintas do Mestre.
             *
O espelho cedeu-me
direitos de imagem.
             *
Quem prende uma ave
faz boa justiça?
             *
Quem pisa nas flores
merece os espinhos.
             *
Os ventos gargalham
zombando do poeta.
             *
No azul dos seus olhos
me perco e me encontro.
             *
Coqueiros se curvam,
humildes, ao vento.
             *
Dedilhas meu corpo
com jeito de artista.
             *
Seus lábios derramam
Poesia em meu corpo.
             *
Seus beijos molhados
me queimam por dentro.

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SE LIBERTAR DO PASSADO